A anodização transforma quimicamente a superfície do alumínio, formando uma película extremamente dura, isolante elétrica, porosa e transparente, que protege o alumínio contra as corrosões atmosféricas e galvânicas. Essa película é conhecida como camada anódica e, quanto maior a espessura, maior será sua penetração no alumínio, portanto, trata-se de uma camada de conversão.

Tal camada é obtida colocando-se o perfil num eletrólito (ácido e aditivos), juntamente com corrente contínua, convertendo a superfície do alumínio numa superfície extremamente dura.

BENEFÍCIOS

Protege o Alumínio contra agentes oxidantes externos, proporcionando à superfície alta resistência a corrosão, abrasão e ao intemperismo.

A maior parte dos produtos anodizados têm um tempo de vida extremamente longo oferecendo vantagens significativas do ponto de vista económico e de manutenção.

O exterior da camada anódica é bastante estável aos raios ultravioleta sem lascar nem descascar.

Superfícies fáceis de limpar com água e sabão, restaurando a aparência original.
Um abrasivo médio pode eventualmente ser utilizado para remover depósitos mais aderentes.

Corrige as irregularidades superficiais deixadas por operações anteriores, tais como as de laminação, extrusão ou usinagem, conferindo à superfície aspecto decorativo de maior valor estético, facilitando ainda a manutenção dos padrões idealizados no projeto.

A anodização ainda oferece um largo leque de polimentos e de colorações mantendo o aspecto metálico da peça.

Os baixos preços iniciais combinam-se com os baixos custos de manutenção e o longo tempo de vida da peça.

A anodização é segura para a saúde. É estável do ponto de vista químico, não se decompõe, não é tóxico e é resistente à temperatura.

PROCESSO DE ANODIZAÇÃO

Abaixo, veja a sequência de operações básicas necessárias em uma linha de anodização:

Fixa, de maneira apropriada, as peças nas gancheiras.

Remove gorduras, óleos, óxidos e outros resíduos contaminantes da superfície das peças.

Promove um acabamento acetinado homogêneo. Geralmente efetuado em uma solução de hidróxido de sódio, normalmente quente.

Neutraliza os resíduos alcalinos da solução anterior e dissolve os compostos formados com os elementos de liga do alumínio nas reações ocorridas no fosqueamento.

Processo eletrolítico, que promove a formação de uma película decorativa e protetiva, uniforme e controlada de óxido de alumínio (alumina) na superfícies o alumínio

Quando solicitada, esta etapa do processo pode ser obtida por:
Impregnação ou abosorção por imersão em corantes orgânicos ou sais metálicos.

A coloração é obtida com a deposição de partículas de metal no fundo dos poros da camada anódica.

Quanto maior for o tempo neste estágio, maior será a deposição de metal, obtendo-se desta maneira cores mais escuras. Podemos usar para tal processo sais de estanho, cobre, níquel, cobalto, etc.

Aumenta a resistência da camada anódica pelo fechamento dos poros do filme. Pode ser feita com o uso de água na temperatura de ebulição, pela conversão do óxido de alumínio amorfo em uma forma mais estável e que é conhecida por boemita, ou por ser efetuada a frio, por conversão química que envolve a formação de um fluoreto de alumínio.

CONTROLE DE QUALIDADE

  1. NBR 9243 – Perda de Massa.
  2. NBR 12609 – Anodização para fins arquitetônicos.
  3. NBR 12610 – Determinação da espessura e características da camada aplicada.
  4. NBR 12612 – Solidez à luz e materiais submetidos à eletrocoloração.
  5. NBR 12613 – Qualidade da Selagem ao final do processo.

TABELA ANÓDICA

No Brasil, a NBR 12609, “ Anodização para fins arquitetônicos”, fixa os requisitos mínimos de qualidade e os teores de conformidade de camadas anódicas para aplicação arquitetônica e, especifica as classes de camada anódica, conforma a zona aplicada, conforme abaixo:

Tabela Anódica

LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

A camada anódica não possui resistência à agressividade dos produtos químicos, alcalinos ou ácidos.

Para evitar danos na superfície das peças que possam comprometer sua durabilidade normal, podemos tomar alguns cuidados especiais:

  • Durante a montagem das peças, evitar contato com cimento, massa de reboco, argamassa, e resíduos aquosos destes materiais, devendo as partes aparentes serem protegidas por fita adesiva de PVC ou aplicar nessas partes uma camada de vaselina sólida.
  • Da mesma forma, proteger do contato com ácidos utilizados na limpeza da alvenaria no final das obras (normalmente ácido muriático), assim como de produtos utilizados na limpeza de prédios e fachadas, pois podem ser ácidos misturados a detergentes, que facilitam a remoção de sujeiras, mas podem diminuir a vida útil do alumínio anodizado.
  • Recomenda-se o uso de um esponja macia e um detergente neutro (evitar o uso de palhas de aço, ferramentas, enfim qualquer meio mecânico que possa vir a danificar o filme anódico).
  • Para as sujidades mais aderentes, pode ser utilizado um solvente orgânico, como thinner ( mas atenção, se a peça foi colorida com o uso de corantes orgânicos, é conveniente fazer um teste em uma área pequena, não aparente, para verificar se esse corante é resistente ou não ao solvente).
  • Após a limpeza das superfícies, pode-se lustrá-las com vaselina ou silicone, evitando-se assim a fixação de poeira.

CATÁLOGO DE CORES